terça-feira, 26 de abril de 2011

Trilha sonora

O poder que tem os sons e os cheiros...  São neles que residem a minha máquina do tempo. Em um segundo, estou sentada na grama com um grupo de amigos e tenho 8, 12, 13, 15 anos. Estou no primeiro amor, no primeiro beijo, na primeira desilusão. Estou na primeira lembrança..  Posso ter todas as idades, reviver todas as vezes de um sim e todas, de um não. Em um minuto, posso estar de novo em um aeroporto vendo alguém partir ou chegar.  Estou escrevendo cartas, lendo livros, abraçando amigos,ouvindo sonhos e projetando os meus.  Chorando copiosamente com o coração partido.  Me vejo no primeiro ano da escola ou no  maternal. Estou olhando o mar pela primeira vez, tão destemida. Revivo momentos  e estou neles inteira.  E os vexames? Do passado que condena, a gente não escapa. Cheiros e sons são também são o meu ponto de vista da realidade que me cerca. Se me remetem à infância, lembro  de como tudo era imenso ao meu redor, porque eu era um ser tão pequeno. Fui crescendo e as coisas diminuindo. Elas começaram a ficar do tamanho  da inquietude e insegurança que  estão no pacote chamado crescer. O "ser pequeno" tomou outra conotação. Ouço uma música, sinto um cheiro e  me lembro das coisas que ficaram e estão lá . Som mágico que traz tudo de volta... Tenho de novo todos aqueles que não podem estar mais aqui. A vida de todo ser humano tem uma trilha sonora  perfumada. A do futuro, ainda é uma incognita. A do presente está sendo escolhida  com as realizações e frustrações que fazem parte do outro pacote  chamado ser gente.  Nesse exato momento, a minha é Bach ( Air Suite Nr. 3 ).
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário