quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Há um Natal em mim

Quando era pequena, esperava o Natal ansiosa, não entendia muito o seu sentido, mas sabia que Papai Noel iria trazer presentes. Fui crescendo e percebendo que existe uma época diferente do ano, em que o ar se transforma e as pessoas estão mais felizes e que o Natal pertencia a uma outra criança, o aniversariante. Talvez por isso, as luzes brilham mais fortes e prestamos atenção nelas... Prestamos atençâo e queremos o abraço, o sorriso, o estar junto. Sentimento bom de acreditar, de voltar no tempo , de ter esperança. Cresci mais um pouco e descobri que há um Natal em mim. Descoberta sempre vivida embora em tantos momentos, desconhecida. O Natal tenta sobreviver em mim os 365 dias do ano... Tem dias que com sucesso e outros, nem tanto. Se celebramos nascimento, renascimento, perdão, amor, solidariedade, risos, abraços, reencontros e encontros, o Natal nos acompanha teimoso. Viver é um ato de fé e talvez por isso, o Natal mexa tanto comigo. O responsável é o aniversariante. E não interessa se você acredita ou não nele. Essa criança quer salvar o mundo e quer também que você salve o mundo  de alguém . Há um Natal em mim e isso definitivamente me faz feliz.