quarta-feira, 25 de abril de 2012

Uma princesa no elevador

Outro dia encontrei uma princesa. Entrei no elevador e lá estava minha vizinha, do alto dos seus quatro anos de idade, totalmente vestida de Cinderela. Lógico que exclamei um "nossa é uma princesa". Ela foi logo me dizendo que era a festa da Maria não sei das quantas, que todas as meninas iam de princesa e que ela ERA uma princesa. Entendi. A mãe olhou para mim rindo  e só conseguiu fazer a seguinte observação"viu como hoje está falante?" e só me ocorreu responder que ela estava "na essência". O que naquele momento era absolutamente verdade. Ouvimos milhares de vezes ao longo da nossa vida que somos princesas e é claro, príncipes. Livros, filmes, revistas, o outro.... Quando a gente veste a roupa certa, estamos na essência do que realmente somos e, por sermos, fica mais fácil trocar palavras e afetividade. Acho que necessito encontrar mais princesas no elevador ou , talvez ,vestir mais minha alma com a roupa certa.

sábado, 21 de abril de 2012

Brasília


Uma cinquentona, com celulite e estrias, que se recusa em sua modernidade a ver o tempo passar, embora as marcas sejam visíveis e muitas vezes irreversíveis. E dai? Que tem fé em santos, espíritos, discos-voadores, árvores, bruxas, energia solar e o que mais vier, tudo junto e literalmente misturado. Que tem no céu , o mar e um horizonte que provoca suspiros nos avisados e desavisados. Poderosa. Feita de claridade e de tantos “brasis”. Construída de gente, de verde, espaços ...Quadras,entrequadras,tesourinhas. A cidade que amo, a minha cidade: Brasília. Linda de viver.