sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012


Não sei em que você acredita: se no abraço na árvore, em orar ou rezar. Se acredita apenas em si ou em voltas e continuações...Conheço uma pessoa que está passando por um momento bem dificil. Ela resolveu que crê mais em si do que em Deus. Talvez ela não perceba que crer em si é crer em algo maior, além da nossa compreensão. Para mim, o nome é Deus, mas para outra pessoa pode não ser. Porque acreditarmos em nós mesmos é também uma questão de fé. Eu, particularmente, não sei como viver sem essa chama, embora muitas vezes ela seja testada, assim como a paciência. Questionar os motivos dos altos e baixos em nossas vida também faz parte dessa nossa natureza humana (questiono todos os dias). Quantas vezes a gente não chega ao fundo do poço e vai além dele? E quando conseguimos sair, com várias escoriações, não lembramos da força maior que nos fez ir além? A fé em si, a fé no outro, a fé no existir é capaz de mover montanhas e fazer com que as coisas aconteçam. Quando era pequeno, meu filho me perguntou se eu sabia quem era aquele gordinho que ficava sentado o tempo todo (pela discrição acho que ele falava de Buda), antes que eu respondesse, ele logo emendou um “é assim que tem gente que vê Deus”. Eu tenho toda licença do mundo para enxergá-lo onde eu mais gosto: em você. E isso é  definitivamente uma questão de fé.