segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Desculpe por desejar bom dia

Outro dia estava atravessando a rua quando um senhor me disse “bom dia” para logo em seguida emendar, “desculpe, pensei que fosse outra pessoa”. O mundo anda tão caótico e as pessoas tão distantes uma das outras, que o fato de alguém se desculpar por desejar a você que o dia seja no mínimo razoável se transforma em um pedido de desculpa. Opssss, dei bom dia para a pessoa errada. E quem é afinal a pessoa certa? O conhecido ou o desconhecido? Estranho esse mundo. Acho que não deveríamos nos desculparmos por viver nele, nem por sermos educados e gentis. Não deveríamos ter vergonha de cumprimentar o outro, deveríamos ter vergonha de nós mesmos por não fazê-lo. Se a “tia” do maternal  nos visse agora, com certeza ficará chateada por termos esquecido lições tão básicas. O “bom dia” associado ao “com licença” e ao “muito obrigado” torna tudo um pouco melhor. Deixe-se confundir. Permita-se todos os dias se dirigir ao outro como se fosse um conhecido e lhe desejar um sonoro bom dia. Permita-se olhar ao redor. Seja educado com esse desconhecido chamado mundo e ele com certeza vai acabar retribuindo ao se tornar um lugar muito melhor. Ah, e antes que eu me esqueça: tenha um bom dia. Permita-se.

Nenhum comentário:

Postar um comentário