segunda-feira, 9 de maio de 2011

Uma amiga a procura de foco

Tenho uma amiga virtual que colocou um procura-se no facebook. No caso, o que ela buscava era o foco e perguntava se alguém sabia onde podia encontrá-lo. Claro que obteve uma enxurrada de respostas que iam de “ o meu está na esquina “ , passando por conselhos sobre meditação ou do tradicional “ ele está por ai”. Acho que tornou-se um dos dez mais procurados naquele dia e deve ter sido visto até comprando roupas em um shopping. Será que o foco é que nem criança, basta dar uma distraída que ele se perde entre cabides, brinquedos, espaços abertos? Onde deixamos o nosso? Onde perdemos o nosso? Será em uma loja de eletroeletrônicos ou em um Parque de Diversões? Será que é quando o primeiro pé que colocamos no chão, ao sair da cama, é o esquerdo? Numa livraria ou naquele momento em que cruzamos o olhar com o outro e somos como que fulminados? Essa busca pelo foco fez vir à tona a imagem meio embaçada em que nos tornamos quando estamos perdidos, desconcentrados ou precisando de um ajuste. Talvez um pouco mais de cor, de enquadramento e até mesmo de mais volume para gritar. Quem sabe baste apenas aquele olhar ' coisa boa' que acontece quando fixamos um ponto qualquer, que nem sabemos o que é, mas que nos coloca ausente deste mundo por segundos, minutos, uma eternidade. Será que precisamos mesmo encontrar nosso foco ou continuar procurando, de uma forma inconsciente, mas acreditando que estamos com ele na alegria e na tristeza,na saúde e na doença, nesse comprometimento que temos com a vida desde que nascemos e que é , por si só, uma união pra lá de estável? Quanto mais focada, talvez mais perdida... Que seja! Espero que essa amiga virtual tenha encontrado o que procura. No caso dela, pode estar na joaninha que adora e que se não traz foco, traz muita sorte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário